Páginas

Quero encontrar:

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Das trivialidades do dia a dia...


As vezes achamos que para termos um mundo melhor precisamos recorrer a milagres. Daí nos colocamos de joelhos, fazemos orações longas, marchamos gritando fervorosamente palavras de ordem contra o sistema político e, mesmo com todos estes esforços, ainda nos perguntamos: “Onde estamos errando?”
Aí eu pergunto. E o nosso entorno? Como eu me relaciono com os outros no meu dia a dia?
É absurdamente estranho desejar a paz no mundo e, nos corredores do meu trabalho, nos cômodos da minha casa, dentro da minha sala de aula, nos lugares onde podemos agir mais facilmente, acabamos ingenuamente – eu acho – por não agir de nenhuma forma.
Vale a pena lembrar que transformar o mundo já utopia há anos, melhor, séculos, no entanto, se cada qual cuidar de modificar sua realidade próxima, teremos muitas realidades próximas modificadas e, assim, criaremos um mundo repleto de realidades próximas modificadas, o dicionário não possui um adjetivo coletivo para essa ideia, chamemo-la de utopia a la “devagar e sempre”.
Você sabia que muitas primeiras impressões causaram atritos e até brigas terríveis? Acontece muito. É aquela coisa... um dia fulano não cumprimentou sicrano que não cumprimentou também. Pronto! Aí já se estabeleceu uma futura guerra. Futura, pois ela começa aos poucos, começa pelas horinhas do cotidiano e só pararia caso alguém cumprimentasse de volta.

O nosso revolucionário aqui será aquele que terá a capacidade de partilhar atitudes de afeto, confesso, escassas na era moderna, contudo, possíveis. A História se constrói nas entrelinhas de um dia. Vamos fazê-la melhor.

Retirado da obra: Eu Partilho, Tu Partilhas, Nós Partilhamos - Thiago Saveda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opine sempre. Essa é a sua arma.